Catolicismo de maneira inclusiva

Tag: paz

19 de setembro – Monsenhor André Sampaio

“Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença. A alegria, o ânimo e o otimismo poderão lhe trazer importantes vitórias na sua vida. Creia nisso. Viva sempre com muita alegria e otimismo que sua vida será repleta de paz e felicidade…”

Monsenhor André Sampaio

08 de julho – Monsenhor André Sampaio

SEJAMOS INSTRUMENTOS DO BEM EVITANDO CONFRONTOS DESNECESSÁRIOS 

“As brigas normalmente ocorrem pela divergência de pensamentos, de opiniões, de visões e pelo egoísmo. Achamos que sempre somos donos da verdade e sabemos tudo e os outros não sabem nada. As brigas podem ser físicas e verbais, ao ouvir um insulto começam as brigas e o nível do pensamento fica negativo e ocorrem vários problemas de obsessão. Ocorrem também por falta de diálogo e intenção de impor o ponto de vista diferente. É muito importante que fiquemos atentos à nossa posição de pessoas de boa vontade e tentar evitar e vigiar e orar sempre e não se descontrolar. Valoriza o compromisso com a paz e sejamos instrumentos do bem evitando confrontos desnecessários, mesmo quando sentimos que estamos certos. A oração é o melhor remédio para todos os males.”

Monsenhor André Sampaio

17 de maio – Monsenhor André Sampaio

“Há pessoas que estão sempre alegres e sorrindo. Tem-se a impressão de que para elas não existem problemas. Só que ao contrário do que muitos pensam, não há neste mundo quem não tenha suas dificuldades. A diferença é que alguns têm plena confiança em Deus e na sua obra. São pessoas que sabem que as atribulações fazem parte da vida, pois só com as dificuldades aprenderemos. As dificuldades nos ajudam a colocarmos em prática as nossas virtudes, como paciência, tolerância, confiança, fé e outras mais. A alegria é um estado da alma e devemos cultivá-la dentro de nós. A alegria melhora nossa imunidade e afasta o mal. A alegria cura as doenças. Onde existe alegria não há lugar para a amargura, a tristeza, que são sentimentos altamente destrutivos. Por isso, veja como você está com sinceridade. Se faltar alegria em sua vida, algo está errado e você caminha para um despenhadeiro. Mude a atitude. Pense em coisas boas, ria, brinque, não dê mais importância aos problemas do que eles merecem. E pense: na vida tudo passa. Somente o bem, a paz, a alegria e o amor permanecem por toda a eternidade.”

Monsenhor André Sampaio

15 de maio – Monsenhor André Sampaio

“Não duvide do valor da vida, da paz, do amor, do prazer de viver, enfim, de tudo que faz a vida florescer. Mas duvide de tudo que a compromete. Duvide do controle que a miséria, ansiedade, egoísmo, intolerância e irritabilidade exercem sobre você.

Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superável; quando somos abandonados por nós mesmos, a solidão é quase incurável. Sábio é o ser humano que tem coragem de ir diante do espelho da sua alma para reconhecer seus erros e fracassos e utilizá-los para plantar as mais belas sementes no terreno de sua inteligência.

Ser livre é não ser escravo das culpas do passado nem das preocupações do amanhã. Ser livre é ter tempo para as coisas que se ama. É abraçar, se entregar, sonhar, recomeçar tudo de novo. É desenvolver a arte de pensar e proteger a emoção. Mas, acima de tudo, ser livre é ter um caso de amor com a própria existência e desvendar seus mistérios.

Se seus sonhos são pequenos, sua visão será pequena, suas metas serão limitadas, seus alvos serão diminutos, sua estrada será estreita, sua capacidade de suportar as tormentas será frágil. Os sonhos regam a existência com sentido. Desejo que você não tenha medo da vida, tenha medo de não vivê-la. Não há céu sem tempestades, nem caminhos sem acidentes. Só é digno do pódio quem usa as derrotas para alcançá-lo. Só é digno da sabedoria quem usa as lágrimas para irrigá-la. Os frágeis usam a força; os fortes, a inteligência. Seja um sonhador, mas una seus sonhos com disciplina, Pois sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas. Seja um debatedor de idéias. Lute pelo que você ama.”

Monsenhor André Sampaio

Imagem: Freepik.

Kobra usa a arte para difundir a mensagem de paz e fraternidade entre diferentes religiões

Kobra, artista brasileiro conhecido por suas obras urbanas gigantes e icônicas, está em Benim, África, para inaugurar o seu projeto “Coexistência”. A ideia do projeto é espalhar mensagens de tolerância e paz por meio de obras de arte que retratam diferentes religiões convivendo em harmonia.

Segundo Kobra, independente da religião, a mensagem principal deve ser o amor. Ele afirma que o amor é o que nos une e jamais pode ser causa de separação, conflito ou desgraças. “Meu projeto ‘Coexistência’ consiste nisso: espalhar mensagens de tolerância e de paz, lembrando que a fé, não importa de qual credo, precisa partir dos pressupostos do respeito e do amor, precisa significar fraternidade entre os humanos“, afirma o artista.

A obra de arte criada por Kobra para o projeto é uma representação simbólica das diferentes religiões presentes em Benim. Doze pessoas, cada uma representando uma religião e também aludem aos 12 estados da nação. Todas olham para o céu, abraçadas, mostrando que é possível caminhar juntos, em paz e harmonia.

Benim foi escolhido por Kobra por ser um país que se apoia sobre os pilares da liberdade religiosa e onde diferentes crenças convivem pacificamente. O artista espera que sua obra possa servir como um lembrete para todos sobre a importância da tolerância e do amor em uma sociedade cada vez mais diversa. Em Benim foi feito o primeiro mural do projeto na África e faz parte de uma iniciativa mais ampla do artista de levar suas mensagens de amor e tolerância para todo o mundo.

A obra de arte criada por Kobra em Benim é uma bela representação de que é possível conviver em paz e harmonia, independentemente das diferenças religiosas. O amor e a tolerância devem ser os pilares de todas as religiões e devem ser cultivados em todas as sociedades, para que possamos viver em um mundo mais justo e pacífico.

Mauro Nascimento

© 2024 Katholikos

Por Mauro Nascimento